Não deixe seus livros parados na estante. Troque seus livros com 200 mil leitores. Participe!

CADASTRE-SE

O HOMEM DUPLO

Philip K. Dick
(0) votos | (0) comentários

Sinopse
Em um futuro não muito distante, a cidade de Los Angeles é rastreada 24h por scanners, infestada por milhares de insetos imaginários e tomada pelo tráfico de drogas cujo principal produto é a Slow Death ou Substância D - que afeta os hemisférios cerebrais e causa uma dependência jamais vista. Neste cenário, o agente duplo Bob Arctor tenta descobrir quem são os principais traficantes da cidade, mas pode sucumbir aos apelos de uma viciada sedutora, durante a deliciosa trama de O homem duplo (A scanner darkly), de Philip K. Dick. Com este lançamento, a Rocco dá início à edição da obra de um dos mais importantes e prolíficos autores de ficção científica do século XX no país. O homem duplo chega às livrarias em fevereiro, simultaneamente à estréia do filme de mesmo nome, distribuído pela Warner Bros., e a tempo de comemorar os 25 anos do clássico Blade Runner – o caçador de andróides, adaptação do mais célebre romance de Philip K. Dick. Em vez de ricos e pobres, a divisão social no Condado de Orange é feita entre viciados e caretas. Bob Arctor – ou Fred para o departamento de polícia onde trabalha – é encarregado de desmontar quadrilhas que produzem a temida Substância D. Disfarçado de usuário, ele mora com dois amigos, ambos empenhados em experimentar e produzir novas drogas diariamente. Para proteger sua identidade – em uma era onde todos os telefones do mundo são grampeados – ele tem que usar um traje misturador e não pode deixar qualquer rastro de escuta. O perigo torna-se ainda maior quando o agente descobre que um dos seus amigos está tentando assassiná-lo. Supostamente para manter o disfarce, Bob Arctor experimenta doses diárias de Slow Death que compra de Donna, uma bonita fornecedora com quem começa a se envolver. Mas o vício pela Substância D faz com que ele fique confuso entre as identidades de viciado, pai de família e policial. Enviado a um grupo de médicos o diagnóstico é familiar: com o uso da droga letal os dois hemisférios de seu cérebro começaram a competir entre si, formando personalidades cada vez mais distintas, porém aprisionadas em um só corpo. E Bob Arctor pode terminar os dias na temida New Path, uma instituição de recuperação de drogados.No romance, não faltam elementos típicos da obra de Philip K. Dick. Estão lá referências cinematográficas clássicas como os filmes Planeta dos macacos e Easy Rider. Não faltam também diálogos sobre funcionamento de máquinas e novas tecnologias que sobrevivem, até hoje, no mundo de Philip K. Dick.O homem duplo foi escrito como uma homenagem do autor a amigos que tiveram graves problemas com o uso de drogas nos anos 70. Logo na abertura do livro, ele escreve: Esses foram amigos que tive; não há melhores. Eles permanecem em meu pensamento, e o inimigo nunca será perdoado. O ‘inimigo’ foi o erro ao brincar. Que eles brinquem novamente, de alguma outra forma e que sejam felizes. Uma mensagem do autor às pessoas que quiseram se divertir para sempre mas foram duramente castigadas por isso. Entre as cenas de psicodelia, há espaço para uma mensagem de alerta – e também de esperança. A adaptação cinematográfica do romance rodada em rotoscopia – técnica em que os frames do filme servem de base para uma animação - foi lançada no ano passado nos EUA. Dirigida por Richard Linklater, o filme tem Keanu Reeves, Robert Downey Jr., Woody Harrelson e Winona Ryder no elenco, e estréia no Brasil em fevereiro. Desde que foi lançado, há exatos 30 anos, O homem duplo ganhou reimpressões ininterruptas nos Estados Unidos e figura entre os três romances mais vendidos e populares do escritor norte-americano. No Brasil, o livro já circulou em versão portuguesa (Edição Livros do Brasil, de Lisboa), mas esta é a primeira vez que ganha uma edição nacional. O romance Do Androids Dream of Electric Sheep? – livro que deu origem ao filme Blade Runner – já está no prelo, mas ainda não tem data definida para chegar às livrarias. > LIVROS QUE VIRARAM FILMES:Impostor (1953): publicado no início da carreira de Philip K. Dick, este conto deu origem ao filme de mesmo título, lançado em 2002, com direção de Gary Fleder e Gary Sinise no papel principal. Second Variety (1953): o conto serviu de ponto de partida para a produção Screamers, de 1995, dirigido por Christian Duguay, com Peter Weller e Roy Dupuis no elenco. Paycheck (1993): a história do gênio da engenharia especializado em projetos ultramodernos e secretos para as grandes corporações chegou às telas de cinema em 2003, com direção de John Woo, com Ben Affleck e Uma Thurman no elenco. Minority Report (1956): este conto deu origem ao thriller futurista de Steven Spielberg. Com orçamento de U$130 milhões de dólares, o filme estreou em 2002 com o astro Tom Cruise no papel do agente John Anderton.We can remember it for you wholesale (1966): o conto serviu de inspiração para o filme Total Recall – O vingador do futuro, de 1990, com Arnold Schwarzenegger e Sharon Stone nos papéis principais. Do Androids dream of electric sheep (1968): este romance de ficção científica tornou-se mundialmente famoso depois de chegar às telas de cinema com direção de Ridley Scott. Blade runner estreou em 1982 e consagrou Harrison Ford no papel de Rick Deckard, o caçador de andróides. A Warner acaba de lançar uma edição remasterizada em DVD, em comemoração aos 25 anos de estréia do filme. Confessions of a crap artist (1975): o romance serviu de inspiração para o longa francês Confessions dun Barjo, de 1992, dirigido por Jérôme Boivin, com Richard Bohringer e Anne Brochet no elenco. O homem duplo (1977): segundo romance de Philip K. Dick a chegar às telas do cinema. Mesmo trinta anos depois de escrita, a história do relutante policial que espiona seus próprios amigos e
Categoria
Editora Rocco
ISBN-13 8532521436
ISBN 9788532521439
Edição 1 / 2007
Idioma Português
Páginas 308
Estante 0  0  3   0
Sua estante
74% chance de ser solicitado

CADASTRE-SE

QUEM DESEJA ESTE TAMBÉM DESEJA



AVALIAÇÃO DO LEITOR
Já leu o livro? Comente!

Quero comentar sobre este livro