David Alves
Queria alguns livro de filosofia que falassem sobre sociedade, consumismo e propriedade privada. mas quero livros de filósofos da era moderna ou contemporânea.

Recomendações

Sinopse
Neste livro, Bauman procura examinar o impacto da conduta consumista em diversos aspectos da vida social - política, democracia, comunidades, parcerias, construção de identidade, produção e uso de conhecimento. E analisa ainda como esta característica parece evidente no mundo virtual, por exemplo, em redes de relacionamento como Orkut e MySpace.


Carla Soares
Todos os livros do Bauman valeriam a pena sobre esse tópico. Recomendo esse de entrada. É bem acessível, Bauman é um ótimo comentador.

se não leu esse ainda, vale a pena. Acho que ele se repete muito as vezes nos livros, mas eu gosto bem de como ele desenvolveu esse volume. - Carla
Já li alguns do Bauman, ele é fantástico. - David
comentar

Sinopse
Coletânea de artigos onde o polêmico filósofo francês discute paradigmas da sociedade contemporânea. O primeiro ensaio trata sobre a clonagem e como ela acabará com o sexo e a morte. No segundo ensaio o tema é a supervalorização em torno da mudança de milênio. O terceiro analisa o mundo virtual.


Bruno Boccia


comentar

Sinopse
Concentrando-se mais na cultura do que nas formulações rebuscadas da filosofia do pós-modernismo, Terry Eagleton elabora neste livro uma refinada crítica política e teórica da contemporaneidade. Em seis tópicos - primórdios, ambivalências, histórias, sujeitos, falácias e contradições - cria um mosaico que permite ao leitor vislumbrar como esse "movimento" de tão breve existência conseguiu derrubar certezas supostamente inabaláveis.


Alexandre Delgado


comentar

Sinopse
A Coleção "Os Pensadores" foi uma iniciativa única no Brasil de publicação das obras mais influentes do pensamento ocidental.


Bruno Boccia


comentar

Sinopse
Neste livro, o autor busca tirar a filosofia da sala de aula para debatê-la em praça pública, escrevendo sobre o mundo no século XXI com o objetivo de chacoalhar os leitores e libertá-los da apatia e da neutralidade.


Alexandre Delgado


comentar

Sinopse
O relato de um executivo que abandonou o sistema econômico para passar um ano longe dele. Com o objetivo de chamar atenção para o excesso de consumo e desperdício na sociedade ocidental, o economista Mark Boyle se propôs a viver sem dinheiro durante um ano. O autor conseguiu sobreviver, se alimentar, manter uma casa e a higiene pessoal sem gastar nada. Para isso, ele lançou mão de soluções criativas, como pasta de dentes feita de moluscos, esquemas de permuta de habilidades e um sanitário com ...


Carla Soares
Não é um livro de um filósofo (o autor é economista, mas não escreve de uma perspectiva acadêmica e sim da experiência dele). Ele experimentou ficar um ano fora do sistema econômico e conta a experiência nesse livro. a vivência, cheia de reflexões, traz uma série de questões muito interessantes. Achei esse livro perturbadoramente bom!

comentar

Sinopse
Enquanto o capitalismo prospera, a sociedade se degrada. Ao lado do crescimento do lucro, cresce a exclusão. A verdadeira crise não é do capitalismo, mas sim da crítica ao capitalismo. Essa crise é analisada desde as raízes pelos sociólogos Ève Chiapello e Luc Boltanski, que traçam o perfil do novo espírito do capitalismo a partir de um exame inédito dos textos de gestão empresarial que alimentaram o pensamento do patronato, irrigaram as novas formas de organização empresarial - a partir de meado ...


Carla Soares
O livro é de dois sociólogos, na verdade. Ele é fruto de um pesquisa muito extensa, feita ao longo de mais de 10 anos, que envolveu a coleta de dados do discurso de livros de administração. Ajuda a entender a apropriação de mecanismos do capitalismo para se manter por tanto tempo, mesmo frente à todas as desigualdades que causa. É um livro um pouco mais árduo e teórico, embora muito revelador e inquietante.

comentar

Sinopse
Provavelmente, daqui a mil anos, não vão lembrar da nossa época como a época do iPad. Vão lembrar da nossa época como a época do ressentimento. Somos uma civilização de mimados que não é capaz de escutar nenhuma crítica sem achar que é uma ofensa pessoal. A mania de perfeição é a doença de nosso século.


Alexandre Delgado
Leitura desafiadora de um filósofo inquietante e questionador.

comentar

Sinopse
Este livro analisa as mudanças culturais nas formas de fazer política - as campanhas eleitorais migram dos comícios para a televisão, das polêmicas ideológicas para o confronto de imagens e para as pesquisas de 'marketing'. O autor explica estas mudanças a partir das transformações da vida cotidiana nas grandes cidades e da reestruturação da esfera pública gerada pelas indústrias da comunicação. Também analisa o modo neoliberal de globalização e discute sua maneira de tratar as diferenças multicu ...


Carla Soares
Nesse livro, a análise se inicia pelas cidades e as indústrias culturais da América Latina. A discussão gira em torna do fato que, nos dias de hoje, nos apresentamos mais como consumidores do que cidadãos. Ele tenta entender o porquê, e, para isso, discute as relações entre o público e o privado, a política e a sociedade civil, o papel das artes e dos meios de comunicação de massa.

comentar


Sua Recomendação




Todas as Perguntas Fazer Pergunta