Não deixe seus livros parados na estante. Troque seus livros com 200 mil leitores. Participe!

CADASTRE-SE

PRISIONEIRA EM TEERÃ

Marina Nemat
(2) votos | (1) comentários

Sinopse
Nessas memórias, tão terríveis que parecem ficção, Marina lembra o horror que viveu ao ser presa, aos 16 anos, durante a Revolução Islâmica do iatolá Khomeini. Por mais de vinte anos, ela tentou esquecer. Foi impossível. Prisioneira em Teerã põe fim a seu longo e angustiado silêncio.
Categoria
Editora Planeta
ISBN-13 857665315X
ISBN 9788576653158
Edição 1 / 2007
Idioma Português
Páginas 304
Estante 1  0  3   0
Sua estante
64% chance de ser solicitado

CADASTRE-SE

QUEM DESEJA ESTE TAMBÉM DESEJA



AVALIAÇÃO DO LEITOR
Ana julia Okamoto
Parece ficção mas não é, tantas reviravoltas que parece ser impossível ter acontecido realmente. Biografia bem escrita e indispensável tanto para quem gosta do gênero, tanto para aqueles que preferem um bom romance.

Aline Weigel
Era o tempo da brutal Revolução Islâmica do aiatolá Khomeini. Marina Nemat tinha apenas dezesseis anos quando foi presa pela Guarda Revolucionária do Irã por ter iniciado uma greve escolar. Levada para Evin, a temida prisão política de Teerã, foi torturada e condenada à morte. Mas um interrogador se apaixonou por ela e salvou-a do fuzilamento. Nessas memórias, tão terríveis que parecem ficção, Marina faz um relato desconcertante do horror e da ternura vividos entre 1982 e 1984.

Thais Serafini
incrível!

Camila Leal
É muito bom. Vc não vai se arrepender de ler.

Aline Weigel
Era o tempo da brutal Revolução Islâmica do aiatolá Khomeini. Marina Nemat tinha apenas dezesseis anos quando foi presa pela Guarda Revolucionária do Irã por ter iniciado uma greve escolar. Levada para Evin, a temida prisão política de Teerã, foi torturada e condenada à morte. Mas um interrogador se apaixonou por ela e salvou-a do fuzilamento. Nessas memórias, tão terríveis que parecem ficção, Marina faz um relato desconcertante do horror e da ternura vividos entre 1982 e 1984. Por mais de vinte anos, ela tentou esquecer. Foi impossível. "Prisioneira em Teerã" põe fim a seu longo e angustiado silêncio.

Já leu o livro? Comente!

Quero comentar sobre este livro