Não deixe seus livros parados na estante. Troque seus livros com 200 mil leitores. Participe!

CADASTRE-SE

AS CORES DO CREPÚSCULO: A ESTÉTICA DO ENVELHECER

Rubem Alves
(0) votos | (0) comentários

Sinopse
foi assim que começou o meu ?caso de amor? com a velhice, com o rigor de um silogismo. Primeira premissa: eu sou velho; o gesto da moça do metrô o atesta. Segunda premissa: a velhice é a tarde imóvel, banhada por uma luz antiquíssima; a metáfora poética assim o declara. Terceira premissa: essa tarde imóvel me encanta, é bela. Conclusão: a velhice é bela como a tarde imóvel. Essa imagem me trouxe grande alegria. Ela dava conteúdo sensível àquilo que eu estava sentindo. (...) Eu podia então falar sobre a velhice falando sobre o crepúsculo. (...) O crepúsculo é o dia chegando ao fim. O tempo se acelera: como se transformam rápidas as cores das nuvens, no seu mergulho na noite! E, paradoxalmente, o tempo fica imóvel, paralisado num momento eterno. Por isso que o crepúsculo é um momento sagrado, de oração, quando o eterno se oferece a nós numa taça efêmera. Por isso cessa o trabalho. É momento de oração: angelus. Somente os sentidos atentos, em contemplação...
Categoria
Editora Papirus
ISBN-13 853080659X
ISBN 9788530806590
Edição 3 / 2002
Idioma Português
Páginas 167
Estante 0  0  0   0
Sua estante
12% chance de ser solicitado

CADASTRE-SE


LIVROS DESSE AUTOR PARA SOLICITAR AGORA


AVALIAÇÃO DO LEITOR
Já leu o livro? Comente!

Quero comentar sobre este livro