Não deixe seus livros parados na estante. Troque seus livros com 200 mil leitores. Participe!

CADASTRE-SE

MÉTODO DE OBSERVAÇÃO DE BEBÊS MODELO ESTHER BICK

Manola Vidal
(0) votos | (0) comentários

Sinopse
Ao apresentar oMétodo de Observação de Bebês Modelo Esther Bické importante esclarecer que se trata de uma aplicação de conceitos relativos a teoria e técnica provenientes de determinado segmento do conhecimento psicanalítico. É necessário também, apontar seus limites em relação a outros métodos de observação da relação mãe-bebê, pois contemporaneamente este conhecimento constitui disciplinas ligadas à Psicologia, Psiquiatria e Biologia que tradicionalmente nos apresentaram suas pesqui­sas ligadas e adequadas ao meio acadêmico.De modo geral, as observações de bebês realizadas pelas mesmas nos apontam para a pesquisa experimental e etológica e se referem a avaliação e medicação de capaci­dades como: diferenciação e reconhecimento da face materna, efeitos da separação precoce, as reações aos estímulos provenientes de pessoas e provenientes de objetos inanimados, desenvolvimento da linguagem (estudos relativos a inteligência anterior a palavra através da capacidade dos bebês de tratarem a prosódia:prespeech,babytalk,motherese) e ao desenvolvimento das competências. Em relação às metodologias acima descritas, o método de observação de bebês modelo Esther Bick vai se opor radi­calmente ao método experimental e a aproximar-se da forma de pesquisa proposta pela etologia por ser uma proposta naturalista de observação, através da qual a priori­dade é a de que o observador se aproxime da dupla mãe-bebê comotabula rasa, descrevendo a interação em seus detalhes.As principais diferenças encontradas em relação ao método experimental estão ligadas aos aspectos ligados ao ambiente da observação que é o de observar a dupla mãe-bebê em domicílio, o registro das ocorrências ser realizado após a observação e seu conteúdo ser apresentado para um grupo que acompanha a prática da observação, a ausência de plano ou foco pré-determinado para observação e a inexistência da pos­sibilidade de duplicação que nos remete a um “outro sentido” para o qual este método nos conduzir. Este “outro sentido” é o da forma como se dá o processo de conhecimento sobre o comportamento observado. O significado deste comportamento é dado pela vivência emocional do observador, bem como por sua capacidade de identificação com a interação mãe-bebê observada.Este é o ponto de sua origem na psicanálise. Ou seja, a co-determinação do sentido daquilo que se observa na interação se origina a partir do inconsciente do observador. Como em nenhum outro método ligado às disciplinas acadêmicas ou mesmo aquelas ligadas à teoria psicanalítica, como por exemplo os trabalhos de observação de bebês realizados por René Spitz, J.Bowlby e Margareth Mahler, a metodologia da observação em Esther Bick se utiliza dos movimentos transferenciais e contratransferências do observador. É a utilização dos movimentos transferenciais e contratransferenciais do observador, o “divisor de águas” em sua relação com outros métodos de observação nos autorizando a pensar que a proposta de Esther Bick como aquela em que os movi­mentos transferenciais e contrantransferenciais constituem o critério de verificação de seu objeto: a relação mãe-bebê. Tanto o critério de verificação como a “desejável” ca­pacidade de identificação com o objeto de observação, nos remetem, na Psicanálise, ao modelo teórico desenvolvido pela Escola das Relações Objetais.

Categoria
Editora Juruá
ISBN-13 9788536267999
ISBN 8536267992
Edição 1 / 2017
Idioma Português
Páginas 122
Estante 0  0  0   0
Sua estante
1% chance de ser solicitado

CADASTRE-SE


AVALIAÇÃO DO LEITOR
Já leu o livro? Comente!

Quero comentar sobre este livro